AMOR...A BASE DE TUDO NA VIDA!

AMIGOS QUE NÃO DÃO PENA, DÃO ORGULHO!

Venha e junte-se a um grupo de amigos que já participam do blog e se preocupam com o nosso país, com as nossas crianças, com a natureza, com os idosos e também com os animais. Faça essa "corrente pra'frente" e se gostar das postagens, COMENTE.Aqui você FAZ A DIFERENÇA! Sejam muito bem vindos!

AMIGOS INCENTIVADORES DO BLOG "BRASIL DÁ PENA" :

sábado, 25 de fevereiro de 2012

DESCASO À VIDA...BRINCADEIRA DE MAU GOSTO!





Quando você vai a um parquinho de diversões, geralmente levando seus filhos para se divertirem, nem de longe imagina o perigo que você pode estar correndo, colocando em risco não só a sua vida, mas principalmente de seus filhos. Muitas vezes, você tem até aversão à altura, a chamada acrofobia(pessoas que tem pavor de lugares altos), mas você está lá, se lembrando das campanhas,tipo "Não basta ser pai, tem que participar" e seus filhos sem aquilatar um perigo "invisível" - mas que está presente a olho nu em um brinquedo onde o dono "amarrou"  a cadeira do cavalinho com fita crepe -pede o tempo todo para você ir com eles nos brinquedos.E o medo disso tudo?

O caso do parque temático  Hopi Hari, em Vinhedo,SP., onde nesta semana uma adolescente de 14 anos morreu em decorrência de uma queda de um brinquedo, só nos traz a  uma triste constatação. É impressionante como tem pessoas no nosso país, que ao tornarem-se  proprietários de um negócio que lida com o público, fazem POUCO CASO COM A SEGURANÇA E A MANUTENÇÃO DO SEU NEGÓCIO. Quer sejam no ramo de diversões, lazer em parques, como também na locação de Jet-Ski por essas centenas de praias espalhadas pelo Brasil. Mas esse é outro assunto que mais tarde será enfoque de minhas postagens.

O que nos chama a atenção no momento, são os parques de diversões espalhados aos milhares pelo Brasil, e que não possuem a mínima condição de prestarem serviços de lazer à população. Brinquedos já em decomposição pelo tempo e pelo uso, mal conservados, alguns "remendados" com fita crepe, algumas atrações de parques são "amparados"(pasmem) com pedras. Ou seja, absurdos em cima de absurdos e quem deveria fiscalizar(como a prefeitura,por exemplo) na maioria das vezes se omitem e aí aparece a danada propina do "cala-boca" que autorizam com alvarás fraudulentos o funcionamento desses parques, que ao invés de proporcionarem diversão e lazer aos usuários, infelizmente, em alguns casos, levam à morte.

Não se sabe ainda ao certo, a causa do acidente do parque de Vinhedo. Se foi falha humana ou mecânica.Se a garota sabia ou não sabia "travar" o braço de segurança do brinquedo. Em ambos os casos, NUNCA SE PODE ADMITIR,QUE SE "BRINQUE" COM AS VIDAS ALHEIAS. Quando você pensar em levar sua família nesses lugares, de norte à sul, leste ou este, por esse mundão chamado BRASIL, pense muito se vale a pena arriscar a sua vida e de seus familiares.

O importante é participar, eu sei...Mas com segurança e em terra firme, é bem melhor!!!

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

FAMA,PODER,RIQUEZA,SUCESSO... QUE DROGA!!!


                               "O poder corrompe.
                                A fama transforma.
                                O sucesso entorpece.
                                A riqueza, em alguns casos, passa a ser apenas 
                                A financiadora das drogas" by  Rubi Valente


Espero que Deus não esteja me ouvindo agora. Quando Ele concedeu o dom, o talento, a exímia arte de estrela de primeira grandeza para alguns artistas, como Elvis, Jimmy Hendrix, Janis Joplin, Kurt Cobain(Nirvana), Amy Winehouse e Whitney Houston, entre outros., deveria ter dado também a intitulada "caretice" para o não envolvimento com o mundo das drogas.


Nessas horas, fica uma pergunta no ar... Se alguns desses artistas não tivessem se envolvido com as drogas, QUANTOS estariam ainda VIVOS hoje? Arrisco a dizer que a maioria ainda estariam entre nós. No Brasil, pelo menos dois casos ocorreram onde uma OVERDOSE foi a causa das mortes. Elis Regina e Cássia Eller sucumbiram pelo uso demasiado de drogas. Talvez elas achassem que era um barato se drogar. Mas esse "barato" lhes tiraram a vida e parece que os exemplos de nada valem hoje em dia. E agora, Whitney!


Na primeira foto acima, Whitney tem 15 anos. Quem imaginaria que aquela garota prodígio, com voz de veludo e que cantava no coral da igreja de uma cidadezinha americana, viesse a se consagrar como a maior cantora norte-americana, detentora do recorde de ser a artista mais premiada da história da música no mundo.




Nos anos 90, Whitney, então com 20 e poucos anos, empolga multidões em turnês pelo mundo.Eu particularmente começo a comprar todos os cd´s que ela gravava. Sua voz inigualável, de uma perfeita sintonia entre o grave e o agudo, me fazia pensar que Deus(de novo,Ele) havia exagerado, e muito,  na concepção da voz daquela mulher. Quando eu ouvia ela cantar "I Will  Always Love You", tema do filme "O Guarda-Costas", eu ficava em completa abstinência às outras coisas ou pessoas, ali, só a voz de Whitney ecoava em meus ouvidos, era como se uma sinfonia de rouxinóis quisesse me tirar os pés do chão. Magnífica Whitney!


Fama, Poder, Riqueza, Sucesso... Que droga!!!




Quando a gente admira um artista, é fã, a gente quer e deseja vê-lo sempre no auge do sucesso. A gente torce por ele como se fosse para o nosso time do coração.E nem de longe passa pela nossa cabeça que ele pode estar na marca do penalty. Como no caso de Whitney. 


Na tentativa de retomar a carreira, ela agendou há dois anos atrás uma turnê pela Ásia, mais precisamente no Japão e Austrália. Em Tókio ela não foi vaiada, e isso deveu-se à chamada educação do povo japonês, apesar de terem ficado estarrecidos com os grunhidos destoantes de Whitney e com os constantes esquecimentos das letras das músicas. Mas na Austrália, a artista foi vaiada pelo público, que perdeu a paciência com ela. Uma triste decadência, um retrato impiedoso do que a maldita droga é capaz de fazer com um ser humano.


Quando a gente vê casos como esse de Whitney e de tantos outros famosos, que morreram em virtude do uso de drogas, a gente fica se perguntando. A pessoa tem tudo, tem o mundo aos seus pés, tem fama, tem poder, tem sucesso e tem dinheiro. Muito dinheiro! Mas parece que tudo isso "enfadonha" a pessoa. Ele no fundo, quer mais e mais. E aí...aparece no caminho as drogas. As malditas drogas! E quem entra nessa rota, perde o caminho de volta e a gente fica cobrando Dele(Ele de novo, mais uma vez) que olhe por essas fracas almas e agora,se estiver me ouvindo, que olhe e dê a tão desejada paz à Whitney.


E posto ao final desse, o vídeo de Whitney, com a música que a consagrou e que ofereço ao amigo, à amiga do Blog que me lê agora. Vá com Deus Whitney!!!



domingo, 12 de fevereiro de 2012

E DONA JOSEFA NEM SABE QUEM É NAJI NAHAS...



Janeiro de 2012, Comunidade Pinheirinho,São José dos Campos,SP. Dona Josefa, 75 anos, costureira, aposentada, moradora do local. ***Naji Robert Nahas, empresário, 65 anos, proprietário da empresa Selecta(em processo de falência) dona do terreno onde desde 2004,  viviam mais de 1.600 famílias, conforme cadastramento em 2010, feito pela prefeitura de S.J.dos Campos.

Como a imprensa noticiou, e quase todo mundo viu nos telejornais, a reintegração de posse do terreno não foi tão pacífica assim. Batalhão de choque da Polícia Militar, balas de borracha, cães, cassetetes, spray de pimenta, bombas de efeito moral(sic!) e outros quesitos que amoldam uma truculência desmedida, foram usados nessa desocupação.

Quase um mês depois, o cenário que a gente vê do local, onde viviam pessoas humildes, que se instalaram lá e ficaram e sob a complacência da prefeitura e também de órgãos públicos, é desolador. O problema não está em quem tem razão em reivindicar a posse do terreno. Isso é direito dele.Ponto. O problema maior que eu vejo é deixarem tantas famílias se acomodarem num local, fazerem suas casas - havia várias casas de madeira, mas também haviam de alvenaria, como a da D.Josefa, 75 anos - e o que é um agravante, foi criada uma infraestrutura no local, com instalação da rede elétrica e também de água.  Criou-se na ocasião, uma comissão de moradores, que foram à prefeitura de S.José dos Campos, no intuito de pedir a legalização das famílias ali instaladas. E com promessas e mais promessas, ou seja, no dito popular, foram "empurrando com a barriga" e o que que se viu? Hoje essas famílias vivem "jogadas" em abrigo público, e a prefeitura prometeu ajudar cada família, com R$ 1.000,00(mil reais).(Isso não paga nem uma caixa de charutos do Sr.Nahas).

Além dos problemas das perdas materiais que eles tiveram, sabe-se também, que dezenas de animais, como gatos e cachorros, foram mortos, soterrados pela força insana das retroescavadeiras, já que muitos moradores foram praticamente escorraçados do local...mal tiveram tempo para carregar seus pertences. Ficaram para trás as humildes lembranças, como por exemplo o livro do garoto Ricardo, que ganhara de presente de sua professora, onde se lia "Amiga para Sempre" e contava com desenhos de seus amigos de turma. Tudo se perdeu nesse pedido de reintegração de posse do senhor Nahas. Agora, por quê SOMENTE AGORA ele entra com esse processo de reintegração de posse do terreno? E por quê a Prefeitura de São José dos Campos deixou que a área fosse invadida e habitada por tanto tempo? Quase oito anos!

Pessoas como a Dona Josefa, uma brasileira humilde, pobre, tenho certeza que existem milhares por esse nosso Brasil afora.E pedem ajuda!
Pessoas como o empresário Naji Nahas, Jáder Barbalho, Maluf e outras figurinhas conhecidas, tenho certeza que existem(INFELIZMENTE) também aos milhares por esse nosso amado Brasil afora. E o que é pior: NEGAM AJUDA!


domingo, 5 de fevereiro de 2012

PARÁBOLA DA ROSA E O ROUXINOL



O texto original de Oscar Wilde - dramaturgo, escritor e poeta irlandês - intitulado "O ROUXINOL E A ROSA", ao longo dos anos foram ganhando novas versões, contudo, em todos eles ficou a marca da ingratidão de um ser humano por um animal. Há muito tempo atrás eu conheci uma versão bem legal do poeta, e resolvi postar aqui aos amigos.

"Era uma vez um jovem que vivia num pequeno povoado. Poucos habitantes e um cenário de muita paz e tranquilidade. Toda manhã, ao acordar, ele ia para a janela, tomar seu café com pão. As migalhas do pão caiam ao chão, no jardim de uma única roseira, mas que não florescia há muito tempo. E nesse cotidiano, vinha um lindo rouxinol e sempre comia aquelas migalhas de pão, achando que o jovem sempre jogava para ele se alimentar.
Até que um certo dia, esse jovem se apaixonou por uma linda mulher, e ao se declarar para a sua amada, ela exigiu dele como prova de seu amor, uma única rosa vermelha. Ele procurou então o jardineiro da casa, que lhe disse que infelizmente ele não vai achar nenhuma rosa vermelha nessa época do ano.
Triste e desolado, o rapaz se fechou em seu quarto. O rouxinol, atento à conversa do jovem com o jardineiro, pensou - Como fazer para ajudar o amigo, que até então ele achava, por lhe jogar as migalhas de pão? Pensou, pensou e foi falar com o Mestre dos Pássaros.
- Senhor, como posso fazer para colher uma rosa vermelha, meu amigo necessita de uma!
- Você pode até conseguir. Mas vai lhe custar um grande sacrifício. Pode até lhe custar a vida!
- Não tem problemas, faço qualquer sacrifício pelo meu amigo! Respondeu assim o rouxinol.
- Bem, para conseguir uma rosa vermelha, você vá até a roseira em noite de lua cheia, e quando for a meia-noite, você vai cantar bem alto, e esse canto pode ser forte demais para você. Vai valer a pena mesmo?Perguntou o Mestre dos Pássaros.
- Vai sim, pelo meu amigo vale qualquer sacrifício. E assim foi...

Numa noite de lua cheia, o rouxinol se embrenhou na roseira cheia de espinhos, com poucas folhas e sem nenhuma rosa e começou a cantar. Cantou, cantou, cantou o mais alto que pode e com esse canto nasceu uma rosa branca. Mas ele queria era rosa vermelha. E continuou cantando, cantando até que seu pequeno peito de uma ave tão mignon não resistiu e como se fosse um milagre, o seu sangue manchou a rosa branca, tornando-a vermelha e com uma cor rubra única.

Pela manhã, ao abrir a janela de seu quarto, o rapaz teve uma enorme surpresa. Lá estava a única rosa vermelha que ele precisava. Foi à roseira, a colheu e junto ao pé da árvore, viu o pobre rouxinol inerte e sem vida. E exclamou!
- Ainda bem que essa ave estúpida morreu. Não me deixava dormir à noite!!!
**********************************************************************************
Bem, o melhor desta parábola, aqui contada dentro de minhas reminiscências e de livros antigos já amarelados pelo tempo, vem ao final, quando o autor de forma bem oportuna e feliz,resume:
                         
                                 # Cada um dá o que tem no coração!
                   # E cada um recebe com o coração que tem.

Desejo um ótimo domingo e uma semana de muita paz à todos.